Sábado, 14 Setembro 2013 08:01    PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
A Privatização da Fundação Odemira é Tabu?
Avaliação: / 2
FracoBom 

https://www.facebook.com/pensar.odemira

Pensar Odemira

9/5

Escândalo em Odemira

A pretexto de uma ordem do ministro Gaspar a Câmara de Odemira muito obediente, propôs a extinção da Fundação Odemira.

Vontades conhecidas de membros do executivo da câmara em tomarem conta da Fundação, viram neste pretexto a chance de isso acontecer.

Outras Escolas Profissionais – Fundações em que câmaras eram as principais promotoras não tomaram esta decisão.

Decisão tomada e de acordo com as actas camarárias decidiram externalizar a Fundação, ou seja entrega-la a alguém.

AGORA o MAIOR ESCANDALO DE TODOS

A Câmara aprovou um regulamento para esta passagem de Activos e Passivos que prevê a possibilidade de qualquer empresa privada ou investidor angolano possa ficar com todo o património da Fundação, nomeadamente 10 antigas escolas primárias, o edifício principal e o antigo ciclo de Odemira, sem que seja salvaguardado o interesse público desse património que grosso modo é doado e ao mesmo tempo esse regulamente deixa em aberto que todos os funcionários da Fundação sejam despedidos. Ou seja levam o património mas as pessoas ficam de fora...

Se isto não é um escândalo de delapidação do património público, o que será?

É isto que os políticos da nossa terra querem para os Odemirenses, desemprego, fim do ensino profissional em Odemira e entrega a privados de património público.

DE referir para que conste que foi aprovado por unanimidade pelos senhor presidente e vereadores este escândalo, devendo os mesmos ser responsabilizados civil e criminalmente por esta situação, se ocorrer.

Fernando Santos O polvo está em Odemira?.... porque não é isto explicado de forma que as crianças o compreendam?......

Foto: Escândalo em Odemira 
A pretexto de uma ordem do ministro Gaspar a Câmara de Odemira muito obediente, propôs a extinção da Fundação Odemira.
Vontades conhecidas de membros do executivo da câmara em  tomarem conta da Fundação, viram neste pretexto  a chance de isso acontecer.
Outras Escolas Profissionais – Fundações em que câmaras eram as principais promotoras não tomaram esta decisão.
Decisão tomada e de acordo com as actas camarárias decidiram externalizar a Fundação, ou seja entrega-la a alguém.
AGORA o MAIOR ESCANDALO DE TODOS
A Câmara aprovou um regulamento para esta passagem de Activos e Passivos que prevê a possibilidade de qualquer empresa privada ou investidor angolano possa ficar com todo o património da Fundação, nomeadamente 10 antigas escolas primárias, o edifício principal e o antigo ciclo de Odemira, sem que seja salvaguardado o interesse público  desse património que grosso modo é doado e ao mesmo tempo esse regulamente deixa em aberto que todos os funcionários da Fundação sejam despedidos.  Ou seja levam o património mas as pessoas ficam de fora… 
Se isto não é um escândalo  de delapidação do património público, o que será?
É isto que os políticos da nossa terra querem para os Odemirenses, desemprego, fim do ensino profissional em Odemira e entrega a privados de património público.
DE referir para que conste que foi aprovado por unanimidade pelos senhor presidente e vereadores este escândalo, devendo os mesmos ser responsabilizados civil e criminalmente por esta situação, se ocorrer.

9/5 às 22:57 · Gosto

Joaquina Bernardino Essa é só meia história, falta o resto.

9/5 às 23:12 · Gosto · 1

Mário Encarnação Só uma pergunta de ignorante ... Este caso e outros do género não têm que ir à Assembleia Municipal ???

9/5 às 23:14 · Gosto · 1

Bruno Nunes Não estão habituados a serem desprezados, o interior e as freguesias mais afastadas da sede de concelho são as mais desprezadas e por coincidência são as que vão desaparecer. Enfim o concelho de Odemira é uma vergonha para as populações mais pequenas.

9/5 às 23:17 · Gosto · 1

Mário Encarnação Segundo, ao que me disseram as freguesias que vão desaparecer são as quatro do partido comunista, as únicas de todo o concelho que não são socialistas ... assim se vai vendo a democracia que temos ...

9/5 às 23:21 · Gosto · 2

Bruno Nunes Comunistas porque foi a que tiveram que escolher, mas nas freguesias pequenas não se votam no partido e sim nas pessoas que se candidatam à presidência. Acabar com as freguesias faz sentido se a sede de freguesia escolhida for a que tiver mais população e não é o caso da freguesia onde moro.

9/5 às 23:29 · Gosto

Pensar Odemira Pelo que sabemos tb foi aprovado em Assembleia Municipal. Joaquina Bernardino quer contar o resto da história?

9/5 às 23:38 · Gosto · 2

Ricardo Eusebio Não há pior cego que aquele que não quer ver (ditado popular).

9/5 às 23:49 · Gosto · 2

Adilia Veiga Mas como assim?...quando, como?

10/5 às 0:22 · Gosto · 1

Vitor Correia Eu prefiro não me prenunciar pois escreveria uma pagina inteira como tal só tenho a dizer; Não nos julguem ignorantes têm a legitimidade para nos governar "sem maioria absoluta" mas não se julguem os donos da CMO porque essa é do povo e esse mesmo povo sabe muito tem o que se passa á sua volta tem é a virtude de ser humilde compreensivo e respeitador e como tal vai-se calando. Existem Leis que infelizmente são interpretada da forma que mais convem mas que no issencial tem regras que não podem ser alteradas, coisa que infelizmente não acontece.

10/5 às 0:24 · Gosto · 1

Maguid Bamidbar Estou a adorar, a panela de pressao está em ebuliçao! Pensar Odemira. Sugestäo: convide tb a sr.a Joaquina Bernardino a contar a história da sua presidência de junta!

10/5 às 1:20 · Gosto · 1

Joaquina Bernardino Pensar Odemira não vou contar porque levaria dias a fazê-lo. Qualquer cidadão que queira conhecer a realidade pode solicitar todo o processo no Município, é o direito à informação.

10/5 às 2:39 · Gosto

Joaquina Bernardino Quanto a si Maguid Bamidbar, cara a cara conto-lhe o quiser e a quem quiser.

10/5 às 2:40 · Gosto · 1

Joaquina Bernardino Maguid Bamidbar, não me parece que exista qualquer panela de pressão prestes a explodir, nomeadamente no caso da Fundação Odemira, parece-me que existe ou existiu foi uma grande incompetência.

10/5 às 2:44 · Gosto

Pensar Odemira A Joaquina Bernardino talvez não queira contas porque não lhe é conveniente... Tb tem interesses envolvidos, não?

10/5 às 10:12 · Gosto

Maguid Bamidbar A sr.a Joaquina tem toda a razao no seu último comentário. Mas conte lá a história dessa gestao! Estamos aflitinhos por saber. Partilhe informaçao previligiada .

10/5 às 11:46 · Gosto

Joaquina Bernardino Pensar Odemira e Maguid Bamidbar, não tenho qualquer interesse no assunto nem privado nem público, não tenho ninguém a trabalhar na instituição, ninguém na sua gestão, como tal sempre que tomei partido contra ou favor sempre, defendi o interesse público, em conformidade com a informação que conhecia. Mas aqui vai citação da ata da Assembleia Municipal de 16/8/2012, para perceberem que se se dessem ao trabalho de consultar os documentos publicados na internet, se evitavam notícias como a que estamos a comentar e talvez, nos concentrássemos naquilo que é realmente importante e relevante, que como se fez, porque se fez, como se deveria ter feito, o que poderemos fazer. Passo a citar:Interveio o senhor Manuel Coelho que relembrou que, aquando da cedência das escolas primárias por parte da Câmara Municipal à Fundação Odemira, a Assembleia Municipal não foi previamente consultada. Disse ainda que se recordava, naquela cedência, do Executivo Municipal incluir uma cláusula de reserva que revertia aquele património para o Município, caso os fins para os quais a doação tivesse sido feita não se concretizassem. A finalidade prevista tinha a ver com a criação de estabelecimentos onde se pudesse fazer a aprendizagem das profissões ligadas ao turismo e, nesse sentido, alertou para o facto de nada disso ter sido efetuado, fim de citação. Agora informem-se do aqui está dito o que foi feito e o que falhou.

10/5 às 13:37 · Gosto

Joaquina Bernardino Sobre este assunto não disponho de informação para além daquela que é pública, e tenho preocupação, com a instituição que tem formado e continua a formar profissionais, que têem revelado qualidade na aprendizagem.Em termos da cooperação, nomeadamente com países de expressão portuguesa, porque entendo que o ensino profissional é importante, talvez porque sou um produto dele, e porque integrarmos na nossa cultura, cidadãos de outros países, é importante para o coletivo nacional. Também estou preocupada, com quem neste momento está em formação na instituição e com quem nela trabalha. As minhas preocupações, fazem apenas e exclusivamente parte da minha

10/5 às 13:51 · Gosto

Joaquina Bernardino Condição de cidadão que olha e interpreta o que se passa em seu redor.

10/5 às 13:52 · Gosto

Maguid Bamidbar Muito bem! Só para esclareder, se tivesse alguém lá a trabalhar o seu interesse/posiçao seria diferente? Nos ultimos anos a gestao da FO tem estado em grande parte a cargo de um ex. Vereador, seu camarada, daí a minha deixa em relaçao à informaçao previligiada.

10/5 às 14:49 · Gosto

Joaquina Bernardino Não não seria diferente e quem me conhece bem, sabe que não. Quanto ao facto de ter um camarada na gestão, não me dá conhecimento suplementar. Também tem outro gestor de uma posição política oposta, com o qual o sr. parece não se incomodar. Dou os meus parabéns, aos dois, por terem aceite enfrentar a situação em causa, que todos sabemos ser difícil, e parece ter tido responsáveis.

10/5 às 16:19 · Gosto

Maguid Bamidbar Mais uma vez tem razão naquilo que escreve. É de louvar o trabalho desenvolvido pelos dirigentes. Não deve ser nada fácil dirigir a sua actividade principal, a sua vida pessoal, política, social e ainda ter um cargo a meio tempo e receber mais de 1500€ mensais....

10/5 às 16:58 · Gosto

Davide Riviera ....é pena que muitos detalhes nem sequer sejam registados e certamente nem vem a publico , pois ficam no segredo dos deuses mas ca por portugal é normal..desde 74 que muitas historias ficaram por contar , muitas associações se criaram "independentemente de que partidos politicos sejam" para alguns poderem ficarem a ganhar .. é o país que temos e continuaremos a ter venham os politicos que vierem ..depois fazem festas do 25 de abril ... em relação a fundação mais directamente se existiu má gestao porque razao nunca ninguem foi dado como culpado? acho que muitos sabem porque.. boa sorte a todos!! Acho que a escola formou bons profissionais e ja teve e ainda tem bons professores só o municipio é que vai perder com isso..

10/5 às 18:01 · Gosto · 1

Joaquina Bernardino Ignoro se estão a meio tempo se a tempo inteiro, quanto ao salário, tal como o regime de permanência, deve ter sido determinado pela Assembleia de que também fazem parte entidades privadas, com um mínimo de capital social, é verdade, porque a grande maioria é municipal. Uma coisa é certa se hoje é uma Fundação, que agora este governo quer ver extinta, é porque outro governo qualquer o impôs, senão seria ainda Escola Profissional de Odemira e, e seria tal como as piscinas, o polidesportivo, a biblioteca ou outro serviço

10/5 às 19:30 · Gosto

Joaquina Bernardino qualquer do Município. Seria administrado pelo executivo municipal e possivelmente as questões que hoje se colocam não se colocariam e o serviço manter-se-ia, para o bem de Odemira, talvez com menos custos de estrutura.

10/5 às 19:33 · Gosto

Joaquina Bernardino Quanto ao comentário do Sr. Davide Silva, houve demissões na Fundação Odemira, não sei se existem ou não processos pendentes na justiça, que como se sabe costuma ser morosa.

10/5 às 19:37 · Gosto

Victor Nascimento ESTOU CHOCADO!!!!NÃO QUERO ACREDITAR!!!!!! Fui professor na Escola Profissional de Odemira durante 10 anos lutei por ela como se fosse um filho! Sairam de lá grandes homens e mulheres com profissoes que hoje desempenham com grande dignidade. As pessoas de Odemira que eu tanto ADORO E ESTIMO deixo aqui uma palavra de apoio e de revolta. ODEMIRA NAO MERECE ISTO!!!!!

10/5 às 19:54 · Gosto · 6

Joaquina Bernardino A qualidade de ensino parece que se mantém, o problema está nas questões de bur(r)ocracia que os diversos governos inventam, em vez de adaptaram a legislação às situações existentes no país.

10/5 às 19:58 · Gosto

Victor Nascimento A fundação Odemira (ESCOLA PROFISSIONAL) é ou era enquanto eu estive presente um EXEMPLO A SEGUIR pois no que diz respeito a formação em hotelaria eramos os mais bem vistos de todas as escolas inclusive as do algarve. Não é preciso escrever muito pois os Odemirenses tem excelentes exemplos de ex alunos com grande sucessos nessa area. NÃO AO FECHO DO ENSINO PROFISSIONAL EM ODEMIRA

10/5 às 20:10 · Gosto · 2

Artur Neves como Odemirense , como actor, e agente cultural, fico triste ao saber do encerramento da Fundação.

10/5 às 23:05 · Gosto

Artur Neves É por estas e por outras, que por muita vontade que exista da parte daqueles que ai nasceram e hoje desenvolvem os seus projetos fora, pois ai não há qualquer tipo de apoio, depois diz-se : " que o concelho é envelhecido....."

10/5 às 23:11 · Gosto · 2

Artur Neves amo Odemira, mas Odemira é madrasta não é mãe.

10/5 às 23:11 · Gosto · 1

João Correia Portugal esta envelhecido e por sinal a Europa também! Agora esta notícia... É caso para LOL

10/5 às 23:42 através de telemóvel · Gosto · 1

João Correia E certas justificações ainda mais... Oh sorte

10/5 às 23:43 através de telemóvel · Gosto · 2

Maguid Bamidbar Sra Joaquina desde quando é o um município pode gerir uma fundaçao? Penso que a FO nao vai fechar, nem o ensino.A FO tem os seus corpos dirigentes, e sem dúvida que sao os responsaveis pelo estado a que chegou.

11/5 às 0:06 · Gosto · 1

Baptiste Sílvia Sousa Pinto ???????

11/5 às 12:13 · Gosto

Joaquina Bernardino Maguid Bamidbar, oxalá que o seu pensar seja verdadeiro, e que a instituição não feche. Quanto a um Município não poder ter uma Fundação, não percebo porquê. Só não pode porque o atual governo o impede pela legislação que fez sair. Só foi Fundação porque outro governo qualquer impediu que fosse um serviço do Município. Qual é a contradição? As escolas pré-primárias e do 1.º ciclo são em grande parte da responsabilidade autárquica, exceto na colocação de professores. As escolas do 2.º ciclo não são da responsabilidade municipal porque os municípios rejeitaram, o governo quis transferir essas competências.

11/5 às 20:36 · Gosto

Maguid Bamidbar Pensar Odemira

Estive a ver as atas das reunioes, disponiveis no site da câmara e nao encontrei a aprovaçao de qq regulamento, conforme é afirmado na noticia principal! Poderia-nos esclarecer?

12/5 às 2:51 · Gosto

Joaquim Augusto O ideal seria que este governo PSD/CDS, de triste memória,que tentou destruir o ensino das escolas profissionais, com a obrigação da extinção das fundações que as gerem,mas que continua impunemente a destruir todo o país, caísse o mais rápido possível e uma nova lei sobra as fundações destas escolas profissionais viesse à luz. Se a fundação for extinta, o Património que foi "doado" só tem que regressar ao seu legítimo proprietário : CMO, que gere o património do Povo do concelho de Odemira! É preciso analisar, e "pensar Odemira" não o fez, em que condições e exigências foram os equipamentos imobiliários "doados" da CMO à Fundação.

12/5 às 8:28 · Gosto

Joaquina Bernardino Maguid Bamidbar, não existe regulamento, mas uma decisão do Município para a cedência de património, por sinal com avaliação na minha opinião abaixo do valor efetivo, por isso, não precisou de ir à Assembleia para ser aprovada a cedência. O valor atribuído é aquele que o executivo entendeu atribuir ao património global do Município quando da avaliação geral do mesmo.

12/5 às 23:36 · Gosto

Pensar Odemira Acta de 21 de Março de 2013 da CMO: "Colocou ainda à discussão dos presentes

a Proposta de Regulamento de Admissão de Propostas para a externalização das atividades da Fundação Odemira na sequência doprocesso de extinção, previamente dada a conhecer atodos por e-mail no dia treze de março do corrente ano, distribuindo ainda o ofício númeroduzentos e oitenta e quatro, datado devinte de março do corrente ano, enviado pelo Senhor Secretário de Estado da AdministraçãoPública, em resposta às questões que haviam sido colocadas por escrito pelo Município deOdemira relativas a dúvidas surgidas sobre o processo de extinção. O senhor Presidente da

Câmara informou ainda que terminava no próximo dia vinte e oito de março o prazo referenteà prorrogação por mais seis meses do mandato da atual Administração da Fundação Odemirae que a próxima reunião do Conselho Geral da Fundação Odemira iria a apreciar oRegulamento e a prorrogação do mandato dos órgãos.-

--------------------------------------------------"

13/5 às 9:59 · Gosto

Pensar Odemira D. Joaquina Bernardino é favorável a que uma empresa privada fique com o património da Fundação e não são só as escolas primárias, há o antigo ciclo preparatório, há o edificio principal da escola? É favorável ao despedimento colectivo que essa mesma empresa apresenta como solução para a Escola Profissional? ou seja fica com a escola mas sem o pessoal , sem professores? é isto que preconiza? Quanto aos actuais gestores, não foram salvar nada pois já lá estavam quase desde a formação da Fundação, por isso não se percebe esse espírito salvador que a senhora fala.

13/5 às 10:02 · Gosto · 2

Joaquina Bernardino Pensar Odemira quem é que lhe disse a si, que sou a favor de tudo isso que diz? Nunca me ouviu dizer tal coisa, nem nunca escrevi semelhante coisa, aliás sou desde sempre contra a extinção desta Fundação, agora o que é certo é k o atual (des)governo criou esta situação. Enquanto não conhecer a solução final preconizada, não comento. Quero acreditar que existirá uma solução que preserve o património, com salvaguardas, que mantenha em funcionamento a instituição e, consequentemente os seus trabalhadores.

13/5 às 10:51 · Gosto · 2

Pensar Odemira Mas é a favor de despedimentos colectivos? Solução preconizada pelo seu dignissimo camarada.

13/5 às 11:11 · Gosto

Joaquina Bernardino Não conheço essas decisões, já lhe disse que o que conheço é aquilo que consta dos documentos que são públicos, sei que que a situação no geral é complicada, pela exigência de extinção da Fundação. O que se está a passar neste momento, sobre a solução possível para resolver este imbróglio em que o governo meteu a Fundação tal como existiu, quero acreditar que contemple uma situação que respeite os trabalhadores ao seu serviço.

13/5 às 15:44 · Gosto

Joaquina Bernardino Quanto à cedência das escola consta na acta de 5 de Junho de 2008 da reunião do executivo municipal, e na acta seguinte também se refere a Fundação

13/5 às 15:46 · Gosto

Joaquina Bernardino Ao que parece no próximo ano letivo, o fornecimento de refeições escolares ao Município vai ser por concurso público internacional, muito dificilmente a Fundação poderá manter o mesmo nível de serviços no catering

14/5 às 0:46 · Gosto

Pedro Sousa talvez venham refeições de marrocos ?

27/5 às 22:14 · Gosto

Pedro Sousa CUCU Helder Guerreiro, não ha uma palavrinha sobre este assunto ?!!!

27/5 às 22:16 · Gosto

Pensar Odemira

14/5

Despedimento Colectivo Promovido pela Câmara de Odemira.

Na sequência do processo de externalização da Fundação Odemira, promovido pela Câmara Municipal de Odemira, deu origem a que um grupo de empresários conhecidos e outros anónimos ganhasse esse mesmo concurso, ficando com todo o património da Fundação Odemira - Escola Profissional. Todo não, porque os professores e restantes funcionários não fazem parte do património que transita para a empresa, pois vai ser promovido um despedimento colectivo que coloca em causa os postos de trabalhos. Ora bem, uma das condições do processo de externalização era a continuação da Escola Profissional que tem um alvará de funcionamento com um corpo docente e discente. Como é que esta empresa assegura o funcionamento da Escola Profissional se vai despedir professores e funcionário????

É isto que a Câmara de Odemira e o seu presidente e vereadores preconizam como solução para o Ensino Profissional em Odemira? É muito triste que assim seja. Para além de ser muito duvidosa a legalidade desta decisão.

Tiago Passos Nem tenho palavras para descrever toda essa situação!

Enoja-me todo o processo que está a decorrer para matar um pouco mais o nosso concelho e acima de tudo um atentado à formação dos jovens que ai residem e vêm na escola profissional uma alternativa ou um aproveitamento escolar direccionado ao que ambicionam para seu futuro profissional ( onde me incluo como ex-aluno ).

14/5 às 11:39 · Gosto · 1

Lénia Soares Simplesmente vergonhoso

14/5 às 12:46 · Gosto

Lucia Dimas além de se duvidar da legalidade do concurso e da decisão, as empresas quando assumem o património (activos) devem de assumir também os direitos e deveres, basta verificar na lei.

14/5 às 14:10 · Gosto

Lucia Dimas Estou revoltada enquanto ex-aluna

14/5 às 14:10 · Gosto

Ângelo Karate-do Shotokan é a camara em que votamos em revolta vamos correr com eles em outubro chega de chupistas numca tivemos tão fraca governação

14/5 às 15:53 · Gosto · 1

Augusto Prado Este ano é ano de eleições.Com um vo to se ganha,com um voto se perde.Para bom entendedor...

14/5 às 18:24 · Gosto · 1

Sandra Marques Pois eu como ex-aluna disordo de todos estes comentários, visto esta nova empresa apesar de ter de despedir algum corpo docente penso que são 17 pessoas, para poder continuar a trabalhar e poder INOVAR, levar o nome do nosso concelho para fora das portas de Portugal, tal como aumentar a oferta formativa do Concelho, entre outras coisas!!!! Acho que antes de estarem aqui a mandar larachas deviam sim pensar no aspecto positivo, porque com mentalidades como as vossas é que não vamos a lado nenhum..... Para bom Entendedor....

14/5 às 19:03 · Gosto · 2

Alberto Bejinha parece que são " só mais 17 pessoas despedidas " num pais que está próximo ou já ultrapassamos 1 milhão de desempregados, enfim mais 17 não faz mal nenhum!!!

14/5 às 19:15 · Gosto · 1

Lucia Dimas Formei-me na Escola Profissional em 2007, com excelentes e exigentes professores, quando cheguei à Universidade, estava bem preparada na vertente prática do curso, mais do que alguns colegas, os conteúdos eram devidamente selecionados, pensados na vertente prática, também é verdade que perdi alguma matemática, português e filosofia. No entanto, adquiri experiências através de estágios curriculares além da prática de apresentação de trabalhos, principalmente na PAP.

Quanto a determinados comentários, como é que se pode INOVAR e despedir pessoas ao mesmo tempo, se essas pessoas não conseguem executar novos trabalhos há formações.

14/5 às 19:30 · Gosto

Lucia Dimas Se ao adquirir uma fundação, neste caso, a escola profissional, a sua adquisição tem de englobar os ativos financeiros, os passivos, capitais próprios, direitos, deveres e assegurar os postos de trabalho, ou será que estou enganada ao citar o código das sociedades e o comercial?????

14/5 às 19:34 · Gosto

Alberto Bejinha nestes casos os trabalhadores são sempre dispensáveis, infelizmente!

14/5 às 19:36 · Gosto · 1

Lucia Dimas no entanto, essa empresa ou a fundação terá de assumir os direitos dos trabalhadores, as indemnizações são para serem pagas

14/5 às 19:38 · Gosto

Alberto Bejinha neste momento por todo o nosso pais, não vejo isso em lado nenhum! será na fundação Odemira diferente??? direitos neste momento??? só se for o direito ao desemprego sem indemnização!!!

14/5 às 19:41 · Gosto

Lucia Dimas há sempre desculpas para dar!

14/5 às 19:42 · Gosto · 1

Alberto Bejinha Infelizmente! tenho lá amigos que estão bastante preocupados com toda a situação, espero que acabe de maneira a salvaguardar o interesse dos trabalhadores no mínimo!

14/5 às 19:45 · Gosto · 1

Lucia Dimas ACT

14/5 às 19:48 · Gosto

Joaquim Augusto Os trabalhadores têm que ir à luta! já existe uma comissão de trabalhadores ?

14/5 às 19:50 · Gosto

Joaquim Augusto E o valioso património é entregue de mão beijada ?

14/5 às 19:51 · Gosto

Lucia Dimas esse é para meter ao bolso, como já anteriormente aconteceu na fundação. Não estou em odemira todos os dias, mas existe boas fontes de informação, principalmente a informação financeira do jornal da câmara. as pessoas às vezes esquecem-se que a contabilidade pública ainda é orçamentada e por dotações. vamos ver nas contas da escola e o relatório de gestão, não combina uma coisa com a outra!

14/5 às 19:54 · Gosto · 2

Davide Riviera ...parece que os votos de empresario valem 3x mais do que das pessoas "normais"... parece que houve por parte de pessoas que querem que a fundação acabe e não digam que não.. é evidente nas palavras proferidas por muitas pessoas essa vontade.. parece que o sr salustiano mais uma vez foi alvo de uma "perseguição" em praça publica.. parece que ha muita coisa por dizer .. há quem fale em evolução mas ainda não percebi onde? e quem ganha com isso??..talvez seria necessário informarem melhor a população do que na verdade querem e vão fazer das instalações e não só.. da fundação odemira.

14/5 às 20:24 · Gosto · 1

Davide Riviera Em relação aos que la trabalham sei que serão encaminhados pro desemprego mas nos dias de hoje ninguem esta seguro em lado algum ..opss esquecime dos lambe botas e pides\dgs que por ai andam que esses tem lugar garantido.. mas o trafico de influencias em portugal é bastante normal isso acontecer. a taxa de desemprego real encontra-se em 1,4 milhoes de desempregados em portugal .. se nao acreditam leiam as noticias certas e façam contas.. ja agora quem sabe dos valores do patrimonio da fundaçao que diga quanto vale e por quanto é vendido.. ainda nao me esqueci do ultimo grande negocio que foi o pavilhao atlantico que custou cerca de 50milhoes e foi vendido por cerca de 20 milhoes ao genro do nosso presidente cavaco silva.. para nao falar nos inumeros casos..é caso pra dizer que estão ha muito a DEPENAR o Patrimonio do estado.

14/5 às 20:33 · Gosto

Joaquim Augusto 90 funcionários e 250 alunos não podem ficar de braços caídos!

14/5 às 20:59 · Gosto

Joaquina Bernardino Mas ontem não funcionou a democracia? A democracia tem destas coisas, nem sempre o resultado é o que nos agrada. Espero com sinceridade, que quem ganhou possa gerir da melhor forma, para que os alunos, os trabalhadores, a economia local possam ganhar com isso. Sei k não vai ser fácil tarefa fácil, dada a situação que se vive, mas algum dia terá k melhorar.

14/5 às 22:19 · Gosto

Davide Riviera ................

14/5 às 22:47 · Gosto

Maguid Bamidbar Mais uma vez a sra. Joaquina tem razao, a democracia funcionou! Foram a votos, uma proposta venceu! A melhor ou pior? Subjetivo, depende da análise de cada um. Quem nao concordar com os principios da Democracia, deverá ir viver para a Coreia do Norte ou para a China! Valioso património que é entregue de mao beijada? Entao mas esse património nao é dos bancos? Hipotecas? Ninguém fala da dívida da FO? Pensar Odemira, percebemos bem que é uma pessoa que está próxima da informaçao, mas é tendenciosa e até acusadora na forma como coloca as noticias. A externalizaçao/extinçao foi promovida pelo governo PSD/CDS.

15/5 às 0:04 através de telemóvel · Gosto · 2

Maguid Bamidbar Pensar Odemira, esta página serve para informar/debater ideias para Odemira, logo as noticias devem ser idóneas. Depois cada um comenta como entender.

15/5 às 0:14 através de telemóvel · Gosto · 1

Pensar Odemira Isto não é um espaço de noticas é de opinião. o facto das ideias não irem de encontro daquilo q é o pensmento de todos não faz das mesmas menos idóneas. Democracia! Democracia quando se votam em propostas que são conhecidas na hora! Isso é democracia? eu quando voto sei no que voto ou julgo saber. Quanto ao património ser dos bancos, não tenho informação completa, as contas disponiveis não mostram isso. Mas a propriedade intelectual e de contratos feitos tb tem um valor inestimável não reflectido nas contas, correcto?

15/5 às 14:29 · Gosto

Humberto Baião se esses tipos nada conseguiram antes, menos irão conseguir agora, a única coisa que vão conseguir será desbaratar o patrimonio, delapidar tudo o que resta....é o melhor ke irão conseguir, vai uma aposta ???

15/5 às 14:41 · Gosto · 1

Fernando Santos sou um enteado de Odemira , esta terra adora estranhos e odeia os seus filhos sejam eles génios ou não.... todos os empreendimentos de valor registados em Odemira ....estão condenados de ir à falência.... COOP MIRA.... ODEFRUTA.....sempre foram odiados e a inveja os matou.... ainda subsistem os que estão registados fora do Concelho.....porque será?....

15/5 às 14:47 · Gosto · 3

Joaquina Bernardino Independentemente das opiniões de cada um, todas válidas, parece que quem aqui opina quer o melhor para Odemira, para a Fundação, ou lá como se venha a chamar, se é que muda de nome. Dados os pressupostos, o que será interessante é cada um de nós, com as suas possibilidades ajudar naquilo que lhe for possível, para levar a instituição a bom porto. É isso que farei, não porque ganharam estes ou aqueles, mas porque considero toda a envolvente da Fundação importante para Odemira.

15/5 às 15:46 · Gosto · 2

Fernando Santos Só refila quem fica de fora!....

12/9 às 12:49 · Gosto · 2

Lucia Dimas e o CDS? o que diz?

12/9 às 13:03 · Gosto

Pensar Odemira O CDS não existe dizer PSD ou CDS é o mesmo. Património público passa para mãos privadas a troco de que? Despedimento de Pessoal? Pressão sobre o pessoal para assinar contratos ilegais? Onde estão os senhores do Pcp q aparecem na televisão a defender os direitos dos trabalhadores? Tangas!

12/9 às 13:47 · Gosto

Lucia Dimas aparecem tal e qual como nas eleições, visto que e reza a história que eleição sim, eleição não mudam de partido. já deram oportunidade a outros? se calhar vamos começar por aí!

12/9 às 14:06 · Gosto

Francisco José Ganhão Caro "Amigo" Pensar Odemira,

O que eu não percebo é porque insiste em relacionar o PSD local e os seus representantes com a privatização da Fundação.

1- Nunca fomos directores da Fundação ao longo da sua existência e não temos lugares na administração privada actual.

2- Não votamos favoravelmente a extinção da Fundação pois não tínhamos à data da votação em reunião de câmara vereadores que representassem o PSD, saliento ainda que quem votou a extinção da Fundação por unanimidade, foram o presidente, os vereadores do PS e da CDU.

3- A Fundação segundo informações que temos e de acordo com o que foi divulgado em Assembleia Municipal estava insolvente.

4- Preferimos que sejam os privados a assumir os custos da reabilitação financeira da Fundação, do que todos os Odemirenses pagarem com os seus impostos os devaneios financeiros de anos de gestão duvidosa.

5- Assumimos a nossa preocupação pelas escolas cedidas à anterior Fundação e qual o seu destino para o futuro, acautelando os superiores interesses do concelho.

6- Assumimos a nossa preocupação pelos despedimentos que têm sido levados a efeito e qual o futuro em termos de emprego para essas pessoas.

7- Tem documentos que justifiquem as suas afirmações, ou sonha de noite e escreve de dia?

Para finalizar dou a cara por este "cartaz" pois nada temo e contínuo com as minhas mãos limpas.

Os Odemirenses não percebem porque não dá também a sua cara "Pensador de Odemira" ou será que tem interesses ligados à Fundação?

Passe bem e desejo-lhe coragem para se assumir como pessoa, senão for capaz de dar a cara então que valor posso dar às suas afirmações?

12/9 às 16:27 · Gosto · 1

Joao Guerreiro 1-"nunca fomos directores", "não temos lugares na administração privada actual" – Talvez seja FALSO. O sr. Presidente da Fundação tem ligações fortes com elevadas patentes hierárquicas do PSD (um ex-presidente, ministros, nomes?), independentemente de localmente não ser um ativo que dê a cara – talvez estratégia. Aliás, isto ajuda a explicar porque o PSD não agita as águas neste processo, rabo preso e não deve ser só por isto...ou então será por pura falta de capacidade.

2-Claro que todos votariam para a extinção: PSD pelas anteriores razões e por sabe-se-lá mais o quê. PS, porque o aprendiz de Camilo (sr. zé) viu o padrinho instalar lá aquela gente toda (incluindo os CDU) e conseguir manter influencias. O CDU porque alguns militantes como agora sr. candidato queriam apoderar-se o património da Fundação Odemira. Será?

3-"A Fundação segundo informações que temos e de acordo com o que foi divulgado em Assembleia Municipal estava insolvente". Certo! Bem haja aos benfeitores que a querem privatizar apoderando-se dos bens públicos. Porque não se fechou a possibilidade de privatização mas sim de ficar em gestão associativa? Se estava insolvente o que fez o PSD e os restantes partidos para exigirem a responsabilidade dos seus gestores pelo desastroso caminho seguido? Nada! Defenderam a vontade dos eleitores que confiaram na V. capacidade de defesa dos interesses públicos?

4-Preferimos que sejam os privados a assumir os custos da reabilitação financeira da Fundação, do que todos os Odemirenses". Talvez, se antes tivessem sido salvaguardados os bens "doados"...ou seja, estes deviam regressar à CMO, ao património público. ou não???

5-- "preocupação pelos despedimentos". É bluff...se o PSD que está no governo defende o despedimento de funcionários públicos podendo pensar em alternativas que permitissem a continuidade destes...melhor, se o PCP que tem essa bandeira de luta, em Odemira age como fascista e alguns notáveis engolem esse grande SAPO...porque será?

6 - Talvez durante o processo de externalização... houve quem visse o descalabro, as falcatruas, os cartões de crédito institucionais, as despesas de luxo e os honorários reais... ou será que não? se não tiraram cópias ou fotos deviam ter tirado, porque com certeza desaparecerão como os SWAPs.

7-Não duvido que tenha as mãos limpas. Só não se compreende como defende ideais ao lado de quem não merece e acaba por subscrever palavras/politicas/visões partidárias nacionais do partido que infelizmente ludibriam os militantes e o povo, enquanto se cozinham negociatas, comissões, maçonarias...etc etc etc.

8- Sr. Ganhão, um bem aja por dar a cara...quem não deve não teme...mas neste assunto em concreto não tem hipótese....quem sabe o Ministério Público apareça para investigar e dê merda da grossa.

9-Continue o bom trabalho em Almograve.

10-O concelho só tem a ganhar com um PSD mais forte. O CDU e PSD dão tiros no pé e têm tanta falta de estratégia e pessoas que o PS se dá ao luxo de meter água como fez com a Fundação e caladinhos ganham com uma perna às costas.

Ontem às 2:56 · Gosto

Joao Guerreiro Peço desculpa ao Pensar Odemirapor ter respondido antes do visado...

Ontem às 2:58 · Gosto

Francisco José Ganhão Mantenho o que anteriormente afirmei.

Ontem às 4:01 · Gosto

Joao Guerreiro É certo que não se se vai conseguir esconder o que aconteceu (e os envolvidos não vão conseguir demarcar-se).....se tiver a sensibilidade e amizade para ter a confiança de algum dos vários professores da EPO ( sobretudo os mais antigos) eles contam-lhe...Ver mais

há 21 horas · Gosto · 1

Francisco José Ganhão Para esclarecer: passo agora a citar as intervenções de um Presidente de Junta de VNMF - José Gabriel e de um deputado da assembleia municipal Manuel Amaro Figueira - Coligação Odemira com Futuro que constam em Ata da Assembleia do passado dia 16 de Agosto de 2012 Ponto 8 (assunto Fundação Odemira). "Interveio o senhor José Gabriel Lourenço, Presidente da Junta de Freguesia de Vila Nova de Milfontes, que disse o seguinte:" Eu não assisti à criação da Fundação, assisti à criação da Escola Profissional, com alguns amargos de boca pelo caminho. Tivemos muitos amargos de boca e até algumas anedotas. Lembro-me da compra do equipamento de vinte e tal mil contos, quase trinta mil contos que depois esteve encaixotado não sei quanto tempo, lembro-me que, a determinada altura para pagar os vencimentos aos professores, foram os mesmos avalistas de letras para sacar o dinheiro ao banco, que depois foram descontadas nas contas deles. Houve muitas peripécias na Escola Profissional e depois criou-se a Fundação para salvar a Escola."

Disse ainda que não pretendia criticar qualquer tipo de administração que foi feita na Fundação, nem criticar pessoas. No entanto, relembrou que, muito recentemente alguma coisa desagradável se tinha passado com o administrador, em que nada tinha sido revelado, mas que parecia que poderia haver matéria suficiente para crime.

Referiu também que, no momento, tinha sido obrigado a fazer uma reflexão e, nesse sentido, chamou a atenção para o valor da verba referente aos apoios financeiros públicos recebidos pela Fundação entre os anos dois mil e oito a dois mil e dez. Considerou que aquela verba era mais elevada do que a que era transferida para as dezassete freguesias, através dos Protocolos estabelecidos com a Câmara Municipal. Disse ainda que, depois de fazer aquela reflexão, verificou que as Juntas de Freguesia não eram os parceiros privilegiados da Câmara Municipal como até então julgava ser. Sobre este assunto, informou ainda que no distrito de Beja existiam quatro Câmaras Municipais no ranking azul que representava a maior percentagem de orçamento destinado às Juntas de Freguesia e o Município de Odemira não se encontrava nesse grupo. Disse também que não equacionava a relação custo/ beneficio, reconheceu que havia algum trabalho desenvolvido e meritório e, bem assim, referiu que desconhecia o valor atual do passivo da Fundação.

Por último, considerou que o próximo modelo que viesse a ser criado para aquela entidade tinha de ser bem pensando e estruturado de uma forma diferente.

Interveio o senhor Manuel Amaro Figueira que, referindo-se à deliberação do Executivo Municipal relativa aquele assunto, disse que presumia que a Câmara Municipal confirmava a percentagem dos apoios financeiros públicos em relação ao total de proveitos dos últimos três anos.

Referiu também que, aquando da criação da Fundação Odemira, tinha sido a única pessoa que tinha votado contra, o que lhe trouxe alguns dissabores. No entanto, no momento também não se congratulava com a extinção da Fundação. Disse ainda que na altura a sua preocupação tinha a ver com o facto de que as fundações, por todo o país, serem criadas com o objetivo de eximir os dinheiros públicos à fiscalização pública.

Por último, considerou que a Escola Profissional de Odemira para ter condições de funcionamento, não será por estar integrada na Fundação Odemira, mas sim porque o "mercado de ensino" o permite.

Referiu ainda que gostaria de saber os contornos exatos da situação económica e financeira da Fundação Odemira, uma vez que, nas reuniões daquela entidade onde esteve presente, esse facto nunca lhe tinha sido comunicado, de uma forma clara.

há 7 horas · Gosto

Francisco José Ganhão Interveio o senhor Manuel Amaro Figueira que considerou que, uma organização em que a sua receita assentava cerca de setenta por cento em fundos públicos, deveria ter uma gestão equilibrada e não chegar à situação em que se encontrava. Referiu ainda que, seguramente, existiria um relatório em que decretava a falência técnica daquela entidade.

Interveio novamente o senhor José Gabriel Lourenço, Presidente da Junta de Freguesia de Vila Nova de Milfontes, que considerou que o Executivo Municipal iria escolher a melhor solução e o melhor modelo que englobasse todas as preocupações ali referidas, designadamente no que dizia respeito aos postos de trabalho existentes e a todos os serviços prestados de carácter público. Questionou também a forma como seria tratado o passivo da Fundação e alertou para a eventualidade da Assembleia Municipal futuramente ser chamada a tomar uma posição sobre o mesmo.

Por último, perguntou se os cursos da Escola Profissional de Odemira tinham deixado de ter acreditação desde o ano de dois mil e quatro.

Joao Guerreiro partilhou o estado de Pensar Odemira.

15/7

Novos Tempos, Novos Comunismos!

O novel candidato do PCP à Câmara de Odemira, agora dono da Escola Profissional de Odemira, propõe aos funcionários que transitam da Fundação Odemira o seguinte: Perda dos Direitos adquiridos na Fundação Odemira; Diminuição de Salário e Aumento do número de horas de TRabalho! Ah Grande Comunista! Assim é que é!



Tags: que  não  às  gosto  odemira  fundação  para  com  por  uma  como  porque  mas  joaquina  pensar  tem  mais  bernardino  património  dos  
Actualizado em ( Sábado, 14 Setembro 2013 08:17 )
 

Your are currently browsing this site with Internet Explorer 6 (IE6).

Your current web browser must be updated to version 7 of Internet Explorer (IE7) to take advantage of all of template's capabilities.

Why should I upgrade to Internet Explorer 7? Microsoft has redesigned Internet Explorer from the ground up, with better security, new capabilities, and a whole new interface. Many changes resulted from the feedback of millions of users who tested prerelease versions of the new browser. The most compelling reason to upgrade is the improved security. The Internet of today is not the Internet of five years ago. There are dangers that simply didn't exist back in 2001, when Internet Explorer 6 was released to the world. Internet Explorer 7 makes surfing the web fundamentally safer by offering greater protection against viruses, spyware, and other online risks.

Get free downloads for Internet Explorer 7, including recommended updates as they become available. To download Internet Explorer 7 in the language of your choice, please visit the Internet Explorer 7 worldwide page.