Sexta, 28 Março 2014 11:18    PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Mariscadores querem fiscalização para evitar apanha excessiva
Avaliação: / 0
FracoBom 

Sines Mariscadores querem fiscalização para evitar apanha excessiva

Mariscadores de percebes queixaram-se hoje em Sines de falta de fiscalização da actividade, que faz com que exista apanha excessiva na costa portuguesa, comprometendo o futuro deste recurso e o sustento dos profissionais.
ECONOMIA
Mariscadores querem fiscalização para evitar apanha excessiva
19:24 - 09 de Dezembro de 2013 | Por Lusa

"Tem de aparecer o chicote, senão vamos dar cabo de tudo", afirmou António Bessone, representante da Associação Nacional de Mariscadores em Apneia e da Associação de Mariscadores das Berlengas.

Segundo o dirigente, no arquipélago das Berlengas, realidade que melhor conhece, os mariscadores apanham mais percebes do que a quantidade permitida por lei e mesmo em altura de defeso, em que não se pode mariscar, apontando o dedo sobretudo aos apanhadores lúdicos.

António Bessone apelou a uma "simbiose" entre "todas as entidades" envolvidas no setor, desde as associações de mariscadores, à Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE), autoridades governamentais e Finanças, para "acabar com estes abusos todos".

O profissional considerou que as autoridades portuguesas "não podem fazer mais com as condições que lhes dão" e apresentou o exemplo da vizinha Espanha, onde a Polícia Marítima está "bem equipada".

"Se não houver união entre as entidades as reservas vão acabar", o que já está a acontecer na zona do cabo da Roca, onde "nem o mês de defeso é respeitado", alertou António Bessone.

O responsável falava durante um debate sobre a apanha do percebe em Portugal, que decorreu esta tarde no Centro de Artes de Sines, evento no qual foram apresentados os resultados de um estudo promovido pela Universidade de Évora.

A perceção de que existe apanha excessiva e fiscalização insuficiente foram dois dos resultados da investigação, com base em mais de 100 inquéritos efetuados a apanhadores de percebes profissionais da Reserva Natural das Berlengas, da costa centro (entre os cabos Carvoeiro e Raso) e do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina (PNSACV).

Outras conclusões apontam para a desvalorização económica do percebe nos últimos cinco anos, atribuída à crise económica, e ao incumprimento da legislação, mais frequente no centro de Portugal.

Os mariscadores do PNSACV revelaram-se os mais insatisfeitos com algumas regras específicas da sua zona, como os três meses de defeso que têm de cumprir, enquanto a nível nacional está estabelecido apenas um.

O presidente da Associação de Marisqueiros de Vila do Bispo, Paulo Barata, corroborou os resultados do estudo, ao lamentar as diferenças na legislação a nível nacional e exigir que associações de profissionais e autoridades governamentais se reúnam para debater o problema.

NO PNSACV, após os três meses de defeso, entre 15 de setembro e 15 de dezembro, os mariscadores estão "mais três meses sem trabalhar", pois "metade dos restaurantes está fechada", ou acabam por vender os percebes "a três euros [o quilo] na lota", explicou.

A "cogestão", em que a gestão da atividade é feita em parceria pelas entidades públicas e as associações de profissionais, nomeadamente na área da fiscalização, foi um dos caminhos apontados para o futuro da apanha do percebe em Portugal, onde existem cerca de 460 mariscadores licenciados.



Actualizado em ( Sexta, 28 Março 2014 12:55 )
 

Your are currently browsing this site with Internet Explorer 6 (IE6).

Your current web browser must be updated to version 7 of Internet Explorer (IE7) to take advantage of all of template's capabilities.

Why should I upgrade to Internet Explorer 7? Microsoft has redesigned Internet Explorer from the ground up, with better security, new capabilities, and a whole new interface. Many changes resulted from the feedback of millions of users who tested prerelease versions of the new browser. The most compelling reason to upgrade is the improved security. The Internet of today is not the Internet of five years ago. There are dangers that simply didn't exist back in 2001, when Internet Explorer 6 was released to the world. Internet Explorer 7 makes surfing the web fundamentally safer by offering greater protection against viruses, spyware, and other online risks.

Get free downloads for Internet Explorer 7, including recommended updates as they become available. To download Internet Explorer 7 in the language of your choice, please visit the Internet Explorer 7 worldwide page.