Terça, 01 Julho 2014 10:06    PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Odemira recebe a apresentação pública dos resultados da Proteção Marinha na Costa Alentejana (PROTEC)
Avaliação: / 0
FracoBom 

PROTEC é apresentado hoje em Odemira
PROTEC é apresentado hoje em Odemira

Ana Elias de Freitas - 30/06/2014 - 07:00 -  Imprimir


Odemira recebe a apresentação pública dos resultados da Proteção Marinha na Costa Alentejana (PROTEC).

A apresentação pública dos resultados do PROTEC está marcada para as 17.00 horas, para o Cineteatro Camacho Costa, em Odemira.

O projecto é financiado pelo Programa Operacional Pescas 2007-2013 (PROMAR), tendo como entidade promotora a Universidade de Évora, através do Laboratório de Ciências do Mar, com a parceria da Fundação da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, através do Centro de Oceanografia, e da Associação de Armadores da Pesca Artesanal e do Cerco do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.

Entre 2010 e 2014, foram desenvolvidos vários estudos científicos com o principal objectivo de avaliar e monitorizar os efeitos da proteção marinha implementada na costa alentejana do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.

Os estudos foram dirigidos aos recursos naturais protegidos, nomeadamente aos recursos pesqueiros, através da análise da estrutura e o funcionamento de populações e comunidades biológicas, não esquecendo os aspectos socio-económicos relacionados com os utilizadores afectados por esta protecção. 


Áreas Marinhas Protegidas da Costa Alentejana - Projecto PROTECT - Apresentação de resultados


Na área marinha do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina (PNSACV), que se estende até 2 km da linha de costa, foram criadas em 2011 áreas de protecção (áreas marinhas protegidas - AMP) onde a pesca é total ou parcialmente interdita, e onde outras actividades humanas são condicionadas.

Na restante área marinha do PNSACV, designada por área de protecção complementar, bem como em áreas marinhas adjacentes, a pesca é regularmente exercida com fins comerciais, de lazer ou de subsistência alimentar, e pode ser intensa em determinados períodos e locais. Nalgumas AMP deste parque, como as da Ilha do Pessegueiro e do Cabo Sardão, situadas na costa alentejana, a pesca lúdica é interdita desde 2009.

Considerando esta protecção marinha, podemos fazer perguntas como as seguintes:

• que efeitos tem esta protecção no ambiente marinho e na pesca?

• esta protecção aumenta a quantidade e o tamanho dos peixes e dos mariscos nas AMP?

• e no exterior das AMP, estes efeitos também se fazem sentir?

O projecto PROTECT, desenvolvido entre 2010 e 2014, pretende responder a estas perguntas através de estudos científicos que avaliem os efeitos da protecção marinha na costa alentejana do PNSACV (mais informações em www.protect.uevora.pt).

O programa PROMAR co-financiou o projecto PROTECT, que é promovido pela Universidade de Évora através do Laboratório e Ciências do Mar, com a parceria das seguintes entidades: 

A Fundação da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, através do Centro de Oceanografia, e a Associação de Armadores da Pesca Artesanal e do Cerco do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.

Esta brochura pretende apresentar os principais resultados deste projecto, nomeadamente dos obtidos nos seguintes estudos.

• Caracterizarão de capturas e actividades pesqueiras

• Avaliação do esforço de pesca e das capturas e rejeições através de observações directas de actividades de pesca comercial e lúdica, e de inquéritos directos a pescadores

• Avaliação da abundância e distribuição de recursos pesqueiros

• Estudo da abundância, distribuição e estrutura dimensional de peixes e mariscos com maior interesse para a pesca comercial e lúdica através de censos visuais directos em fundos rochosos entre marés e permanentemente imersos, e de acções de pesca experimental em fundos rochosos e arenosos. Este estudo incidiu nas AMP da Ilha do Pessegueiro e do Cabo Sardão, considerando áreas de controlo (não protegidas) adjacentes a norte e a sul.

• Marcação de peixes (sargos, safias, safios e moreias) na AMP da Ilha do Pessegueiro para avaliar a sua fidelidade espacial, os seus movimentos e a ligação entre áreas.




Actualizado em ( Quarta, 02 Julho 2014 11:24 )
 

Your are currently browsing this site with Internet Explorer 6 (IE6).

Your current web browser must be updated to version 7 of Internet Explorer (IE7) to take advantage of all of template's capabilities.

Why should I upgrade to Internet Explorer 7? Microsoft has redesigned Internet Explorer from the ground up, with better security, new capabilities, and a whole new interface. Many changes resulted from the feedback of millions of users who tested prerelease versions of the new browser. The most compelling reason to upgrade is the improved security. The Internet of today is not the Internet of five years ago. There are dangers that simply didn't exist back in 2001, when Internet Explorer 6 was released to the world. Internet Explorer 7 makes surfing the web fundamentally safer by offering greater protection against viruses, spyware, and other online risks.

Get free downloads for Internet Explorer 7, including recommended updates as they become available. To download Internet Explorer 7 in the language of your choice, please visit the Internet Explorer 7 worldwide page.