Domingo, 30 Agosto 2015 08:42    PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Joaquim José Duarte Silva nasceu no Barreiro há 63 anos
Avaliação: / 0
FracoBom 

Joaquim José Duarte Silva nasceu no Barreiro há 63 anos
Médico de Saúde Pública, clínico humanista unanimemente respeitado e amado por todos

Joaquim José Duarte Silva  nasceu no Barreiro há 63 anos<br />
Médico de Saúde Pública, clínico humanista unanimemente respeitado e amado por todos. Homenageado em Vila Nova de Mil Fontes

Exige-se este reconhecimento e esta memória, agora por parte das forças vivas de Vila Nova de Mil Fontes, Odemira e do Litoral Alentejano, em autonomia e também junto da distante Lisboa. Que nunca se esqueçam do seu nome, nem mudem o nome das instituições que ele ajudou a criar e a desenvolver. É assim que se desenvolve uma memória, uma juventude, uma geração e um país.

Homenagem a Joaquim José Duarte Silva

Nasceu em 31/7/1952 no Barreiro, há 63 anos.

Trabalhou no Centro de Saúde de Odemira e de Vila Nova de Mil Fontes desde Janeiro de 1981 (29 anos) até Dezembro de 2012 (60 anos): quase 32 anos de dedicação ilimitada e profícua.

Aluno interessado, começou a desenhar projetos de saúde Comunitária no seu Concelho desde o Serviço Médico à Periferia, aos 29 anos, na linha daquilo que o tinha levado desde sempre a manter uma correspondência regular com o agora Diretor Geral de Saúde, Dr. Francisco George.

Na sua atividade vê-se a sua formação sólida e empenhada em Medicina Familiar e também em Saúde Pública, muito antes e depois do Mestrado da FCML, iniciado em 1998, aos 46 anos. 

Conheci o Dr. Joaquim José Duarte Silva em 1998, quando iniciou o mestrado em saúde Comunitária.

No entanto só agora estou a compreender a sua real dimensão, tragicamente falecido em serviço quando tinha ainda tanto para dar. Faltava-me saber a sua dimensão de Saúde Pública em que ele foi tão lutador e tão eficaz

No âmbito do seu mestrado, e com a ajuda do Dr. Filomeno Taborda e de outros, convidou-nos a visitar Vila Nova de Mil Fontes, o lar Dª Ana Pacheco, em Sabóia, e outras terras do Concelho de Odemira, em Fevereiro de 2000, com o então Presidente da Câmara de Odemira e um Professor de Saúde Pública da FCML, que disse desde logo, que a FCML não poderia ser líder nesse projeto.
(mais uma negativa, desta vez de um dirigente universitário)

Misturava amor com projetos, aqui também. Queria que as pessoas partilhassem com ele a visão apaixonada das coisas, e nem sempre conseguia. O que ficou desse projeto foi o conhecimento comigo; e sei que se reforçou a impressão com que fiquei do Dr. Duarte Silva.

Sempre teve uma componente sentimental e poética. Falava-me dos sobreiros de Sabóia como mãos descarnadas agarradas a uma terra sem água, que subiam aos céus a pedir o amor e a justiça de Deus.

Tinha um olhar microscópico e macroscópico sobre a clínica e as condições de saúde, que falta aos planificadores. Eu por mim cansei-me das reformas, das quais poucas se aproveitam e que raramente são eficazes, dos hospitais que mudaram de nome 6 vezes, do centralismo, da repetição de funções da nossa função púbica e de saúde. Admirava a sua paciência e perseverança nesta guerra em que o Dr. Duarte Silva foi um participante interessado, eficaz, paciente e político no sentido mais nobre e desinteressado do termo.

Logo a seguir conheci-o como médico, quando me começou a enviar doentes para a minha consulta de psiquiatria, um envio sistemático, bem triado, desde o pastor, ao pequeno proprietário, ao reformado. Pessoas com alcoolismo, depressivas, todos. Muitas vezes com um telefonema, ou com uma carta, ou como um doente me dizia: - Dr, faça de mim o que quiser, eu passo a confiar em si completamente como confio no Dr. Duarte Silva. Era uma extensão de confiança para mim, do Poder Absoluto do médico para tratar e curar, com a ciência possível.

Mais tarde ainda, ele próprio avançou para um projeto de Saúde Privada, supletivo do outro pelo quem tinha lutado tanto, com a ajuda da Maria Luísa, sua companheira de sempre, mãe dos seus filhos, co-criadora do seu ambiente familiar, moral e espiritual, e perpetuadora da sua memória.

Ao médico de Saúde Pública tinha-se juntado o clínico humanista unanimemente respeitado e amado por todos

Faleceu em 12-12-2012, aos 60 anos, numa noite de banco, no cumprimento da sua profissão e do seu dever, da forma mais violenta, prematura e inesperada possível.

São de pessoas destas que Portugal mais necessita e de que o país mais se esquece: pessoas como Coimbra de Matos, Evaristo de Sousa Gago, o médico de Grândola; O Dr. de São Marcos; Duarte Silva, pessoas sem carreira universitária nem lugares administrativos de relevo, que participaram em tudo ao longo de décadas, que seguraram a medicina onde ela fazia mais falta, a transmitir bons exemplos, que continuam a ajudar os outros mesmo depois de morrer, neste caso através da sua mulher e filhos, que merecem nomes de Fundações, de ruas, que merecem bustos e estátuas, com a sua humildade criadora e calorosa humanidade. Mas ao pé do povo que eles ajudaram a tratar e a criar.

Exige-se este reconhecimento e esta memória, agora por parte das forças vivas de Vila Nova de Mil Fontes, Odemira e do Litoral Alentejano, em autonomia e também junto da distante Lisboa. Que nunca se esqueçam do seu nome, nem mudem o nome das instituições que ele ajudou a criar e a desenvolver. É assim que se desenvolve uma memória, uma juventude, uma geração e um país.

rostos

Vila Nova de MilFontes, 2015-07-31
Domingos Neto



Tags: que  saúde  uma  com  sua  duarte  silva  anos  das  mais  nova  vila  seu  pública  médico  por  memória  ele  como  para  
 

Your are currently browsing this site with Internet Explorer 6 (IE6).

Your current web browser must be updated to version 7 of Internet Explorer (IE7) to take advantage of all of template's capabilities.

Why should I upgrade to Internet Explorer 7? Microsoft has redesigned Internet Explorer from the ground up, with better security, new capabilities, and a whole new interface. Many changes resulted from the feedback of millions of users who tested prerelease versions of the new browser. The most compelling reason to upgrade is the improved security. The Internet of today is not the Internet of five years ago. There are dangers that simply didn't exist back in 2001, when Internet Explorer 6 was released to the world. Internet Explorer 7 makes surfing the web fundamentally safer by offering greater protection against viruses, spyware, and other online risks.

Get free downloads for Internet Explorer 7, including recommended updates as they become available. To download Internet Explorer 7 in the language of your choice, please visit the Internet Explorer 7 worldwide page.