Sexta, 17 Fevereiro 2012 12:53    Versão para impressão
Matadouro do Litoral Alentejano já iniciou laboração, após investimento de 5ME
Avaliação: / 0
FracoBom 

Pecurária: Matadouro do Litoral Alentejano já iniciou laboração, após investimento de 5ME
O Matadouro do Litoral Alentejano (MLA), no concelho de Odemira, fruto de um investimento de cerca de cinco milhões de euros, já iniciou a primeira fase de laboração, revelou hoje o município, acionista da sociedade gestora. 

O matadouro “iniciou a primeira fase de laboração da unidade industrial, com os testes de linha”, efetuando “um abate experimental de animais”, adianta a Câmara Municipal de Odemira. 

Situado em Fornalhas Velhas, na freguesia de Vale de Santiago, no interior daquele concelho alentejano do distrito de Beja, o matadouro é uma aspiração antiga, com mais de uma década, de produtores de gado da zona. 

O equipamento, que resulta de um investimento que ronda os cinco milhões de euros e prevê a criação de cerca de 20 postos de trabalho, está equipado com três linhas de abate. 

A capacidade de abate, por hora, é de 15 bovinos, 100 leitões e 90 porcos, borregos ou cabritos, explica a autarquia. 

“Para rentabilizar a unidade e melhorar a qualidade do produto, o MLA está equipado com a mais moderna tecnologia, como a mecanização de todas as linhas, a insensibilização por CO2, o escaldão vertical ou o túnel de arrefecimento rápido de carcaças”, pode ainda ler-se no comunicado camarário. 

O início de testes, segundo o mesmo acionista, “é um momento decisivo para o MLA, não só por constituir o início de atividade da unidade industrial de abate, mas pelo culminar da dedicação e esforço das entidades envolvidas, que muito investiram e acreditaram” no projeto. 

Localizada “no seio da produção pecuária” dos concelhos de Odemira, Ourique e Santiago do Cacém, a unidade vai ter um “papel determinante” na região, já que vai permitir “completar a fileira da carne no território, desde a produção até à venda ao consumidor”, reforça a entidade gestora. 

“O MLA permitirá fixar na região um conjunto de mais-valias, uma vez que a diferenciação da qualidade dos produtos ganha, com o início de laboração do matadouro, um vetor fundamental de desenvolvimento”, acrescentam os promotores. 

De acordo com o município de Odemira, a escassez de unidades de abate na região, os preços competitivos e a centralização do MLA face à produção "são indicadores que apontam para uma boa adesão dos produtores e uma clara rentabilização económica do investimento". 

A sociedade do MLA foi criada, no final de 2003, por produtores pecuários e entidades ligadas ao setor, com o envolvimento também da Câmara de Odemira e de uma entidade bancária, que detêm mais de 90 por cento do capital social.

Redacção DORS
20:32 segunda-feira, 13 fevereiro 2012


Tags: que  matadouro  com  uma  mla  investimento  laboração    alentejano  por  iniciou  abate  odemira  unidade  mais  litoral  após  produtores  dos  região